segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Sul palmo della mia mano

                                         Imagem: Google

"Toma o amor guardado entre as conchas da minha mão. Dentro delas ouvi as ondas quebrando-se em pedras e o espetáculo de um pequeno musgo nascido à beira de um raio de sol. Dentro delas, ouvi a terra aninhando sementes e plantas entrelaçando a ponta de suas raízes. Finas raízes tentando sustentar o mundo sob as placas de cimento. As placas de cimento, de onde germinam as casas e crescem as pessoas, entrelaçando a ponta de seus braços e o mais fundo de seus corpos pela noite escura. Dentro delas, ouvi o mundo inteiro tentando ser par... e ouvi a ponta de tuas asas tocando minhas costas nuas..."


Rita Apoena

5 comentários:

Will disse...

Olá, dulcíssima Pê,

Às vezes basta um estender de mãos para tocarmos o infinito.

Lindíssimo post.

Doce noite para você!

✿ chica disse...

Que coisa linda! um beijo, tudo de bom,chica

MARILENE disse...

A semente e seu desenvolvimento, nesse texto lindo. "ouvi o mundo inteiro tentando ser par..." Forma perfeita para passar um sentimento.

Bjs.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Rita
Lindo poema, quase surreal. Amei.
Voltei.
Bjux

Rô... disse...

oi Pe,

e o mundo será muito mais lindo,
muito mais colorido,
quando todos forem par...
lindo!!!

beijinhos