sábado, 27 de agosto de 2011

Flor-de-lótus

                                                         Imagem:Google


"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim,
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração."
Tagore

5 comentários:

✿ chica disse...

Tagore e suas palavras maravilhosas! Ótimo fds,beijos,chica

Lilá(s) disse...

É uma das flores que sempre me atraiu, pela sua suavidade, pelo nome por apenas abrir com sol.
Bjs

Rabisco disse...

Muito bonito este poema, tão bonito quanto a flor que lhe deu nome.

Bjs

http://rabiscosincertossaltoemceuaberto.blogspot.com/

Erico disse...

Olá!

Quando um vento vem do sul... Quase me arrebento de saudades!!

Abraços :)

HENRY disse...

Penônia, obrigado pelo carinho no seu cometario lá no meu novo cantinho.
Tambem eu gosto e amo este seu jardim florido, da qual a Penônia é a mais linda e graciosa Flor...

Uma otima, feliz e alegre semana pra voce tambem querida.

Beijos e abraços, amiga!